Hidroxicloroquina pode não melhorar os sintomas da síndrome de Sjögren primária em adultos

MBE em Foco - Volume 1, Issue 12

Read the complete MBE em Foco.

Reference: JAMA 2014 Jul 16;312(3):249 (evidência de nível 2 [médio])

A síndrome de Sjögren é uma doença autoimune caracterizada por uma disfunção das glândulas exócrinas, resultando em secura, dor e fadiga (BMC Med. 2013 Apr 4;11:93 full-text). A hidroxicloroquina é um imunomodulador que é frequentemente prescrito para pacientes com síndrome de Sjögren primária que se apresentam com sintomas gerais como fadiga, artralgia e mialgia. No entanto, apesar de sua ampla utilização, os dados clínicos que sustentam a eficácia da hidroxicloroquina são muito limitados. Um recente estudo randomizado com 120 adultos com síndrome de Sjögren primária comparou a hidroxicloroquina 400 mg diários por via oral com um placebo durante 24 semanas.

Todos os pacientes tinham usado doses estáveis de AINEs, corticosteróides orais, pilocarpina, ou ciclosporina tópica por pelo menos 4 semanas, e o uso concomitante desses agentes foi permitido durante todo o ensaio. O desfecho primário foi a redução ≥ 30% no escore de sintomas em pelo menos duas das três escalas que avaliam secura, dor e fadiga. A proporção de pacientes que atingiram o desfecho primário foi de 17,9% com hidroxicloroquina vs. 17,2% com placebo (odds ratio = 1.01, IC de 95% = 0,37-2,78). A hidroxicloroquina foi associada com uma diminuição não significativa na média dos escores de dor (p = 0,06), mas não houve diferenças significativas nas pontuações médias de fadiga ou secura. Eventos adversos graves foram relatados em 3,6% dos pacientes que tomavam hidroxicloroquina versus 4,9% com placebo (nenhum valor de p relatado).

A evidência clínica que apoia a hidroxicloroquina para a síndrome de Sjögren primária é limitada a pequenos estudos abertos. Um ensaio randomizado cruzado anterior não demonstrou nenhuma melhora sintomática associada à hidroxicloroquina, apesar das melhorias nos marcadores intermediários da doença (Ann Rheum Dis 1993 May;52(5):360 full-text). No entanto, esse ensaio foi limitado por uma amostra pequena. Os resultados deste novo e muito maior ensaio confirmam os achados anteriores e fornecem evidências mais convincentes de que hidroxicloroquina parece não melhorar os sintomas da síndrome de Sjögren primária. Além disso, o uso da hidroxicloroquina requer exames oftalmológicos periódicos, devido ao risco dose-dependente de retinopatia (Ophthalmology 2002 Jul;109(7):1377).

Para mais informações, veja o tópico Síndrome de Sjögren no Dynamed.


Other EBSCO Sites +