Associar corticoides a injeção epidural de lidocaína pode não reduzir incapacidade ou dor em 6-12 semanas em pacientes com estenose do canal vertebral

MBE em Foco - Volume 1, Issue 9

Read the complete MBE em Foco.

Reference: N Engl J Med 2014 Jul 3;371(1):11 (evidência de nível 2 [médio])

Apesar de as infiltrações epidurais de corticoides serem comumente utilizadas em pacientes com estenose do canal vertebral, as evidências que apoiam esse uso são limitadas. As orientações mais recentes da North American Spine Society (NASS) para estenose lombar degenerativa afirmam que injeções epidurais interlaminares de corticoides são sugeridas para proporcionar alívio dos sintomas em curto prazo (2 semanas a 6 meses) em pacientes com claudicação neurogênica ou radiculopatia (Spine J 2013 Jul;13(7):734). Um recente ensaio randomizado comparou injeções epidurais de corticoides associadas a lidocaína com lidocaína isoladamente após 3 e 6 semanas em 400 pacientes que tinham estenose do canal vertebral com incapacidade e dores nas pernas de moderadas a graves.

Os pacientes do grupo dos esteróides receberam 1 a 3 ml de triamcinolona (60-120 mg), betametasona (6-12 mg), dexametasona (8-10 mg), ou metilprednisolona (60-120 mg) a critério do médico assistente. A incapacidade foi avaliada com o Roland-Morris Disability Questionnaire (intervalo 0-24) e a dor nas pernas foi avaliada com a escala Brief Pain Inventory (intervalo 0-10). No início do estudo, a duração da dor foi maior no grupo da lidocaína associada a corticoides em comparação com o grupo da lidocaína isolada (p = 0,02). Os pacientes que receberam corticoides epidurais não atingiram uma melhora clinicamente significativa nas pontuações médias de dor ou incapacidade a 3 semanas em comparação com aqueles que não receberam corticoides. Além disso, não houve diferenças clinica ou estatisticamente significativas entre os grupos nesses mesmos resultados em 6 semanas. Não houve, ainda, diferenças significativas nas proporções de pacientes com ≥ 50% de melhora nas pontuações de incapacidade ou dor a 6 semanas. No entanto, em uma análise post hoc com ajuste para duração da dor no início do estudo, os pacientes que receberam esteroides associados à lidocaína tiveram uma redução pequena, mas significativamente maior, na pontuação de incapacidade em 6 semanas em comparação com aqueles que receberam lidocaína isoladamente (p = 0,03).

Os resultados desse estudo são consistentes com os de outro ensaio randomizado recente que avaliou a adição de betametasona às injeções epidurais de lidocaína em pacientes com estenose vertebral (J Spinal Disord Tech 2012 Jun;25(4):226). Ele também não identificou nenhuma melhora nas pontuações de incapacidade ou dor em 12 semanas a 1 ano em pacientes que receberam corticoides associados a lidocaína, mas também teve um potencial fator de confusão devido a desequilíbrios nas características dos pacientes ao início do estudo. Os resultados destes dois estudos randomizados recentes sugerem que qualquer melhora na incapacidade ou dor não persiste além de 6-12 semanas. Além disso, qualquer benefício observado antes desse período tempo deve ser pesado contra um risco aumentado de eventos adversos, incluindo uma potencial contaminação pelo produto, alterações temporárias no controle glicêmico e retenção de líquidos induzida pelos esteroides.

Para mais informações, veja o tópico Injeção epidural de corticoides no Dynamed.

Agradecimentos especiais a Janine Knudsen e Nicole Jackson, da Harvard Medical School, por suas contribuições para o artigo desta semana.


Other EBSCO Sites +