Nivolumab pode aumentar as sobrevidas global e livre de progressão em comparação com o docetaxel em pacientes com câncer de pulmão de células escamosas não-pequenas avançado

MBE em Foco - Volume 3, Issue 14

Referência: N Engl J Med 2015 May 31 early online (evidência de nível 2 [médio])

Os receptores de morte programada 1 (PD-1) das células T ativadas interagem com os ligantes PD-1 expressos em células tumorais, suprimindo a ativação imunitária e a promoção da evasão imune do tumor (Curr Opin Pharmacol 2015 Jun 1;23:32). Os anticorpos anti-PD-1 já demonstraram melhorar a sobrevida em comparação com os agentes quimioterapêuticos em pacientes com melanoma avançado sem tratamento prévio e com linfoma de Hodgkin refratário ou recidivado (N Engl J Med 2015 Jan 22;372(4):320, N Engl J Med 2015 Jan 22;372(4):311). Embora o docetaxel seja atualmente recomendado para pacientes com câncer de pulmão escamoso de não-pequenas células com progressão após a terapia de primeira linha (Chest. 2013 May;143(5 Suppl):e341S-68S, NCCN 2014 Jun), evidências recentes sugerem que os anticorpos anti-PD-1 também podem ser eficazes nesta população de pacientes. Já se havia demonstrado, anteriormente, que o anticorpo anti-PD-1 nivolumab produz uma resposta objetiva em 14,5% dos pacientes com câncer pulmonar de células escamosas não-pequenas avançado e ≥ 2 tratamentos anteriores, com 26% mais pacientes apresentando doença estável durante um estudo de fase 2 (Lancet Oncol 2015 Mar;16(3):257). Um estudo randomizado recente comparou o nivolumab IV a 3 mg/kg a cada 2 semanas com o docetaxel IV a 75 mg/m2 a cada 3 semanas em 272 pacientes com câncer de pulmão de células escamosas não-pequenas avançado que tiveram recorrência da doença após tratamentos com regimes contendo platina. Todos os pacientes tiveram doenças em estádios IIIB ou IV e pontuação de status de desempenho segundo o Eastern Cooperative Oncology Group entre 0 e 1. Os pacientes foram tratados até progressão da doença ou descontinuação devida a eventos adversos (ou outros motivos).

O Nivolumab foi associado a um aumento da sobrevida global, com uma sobrevida mediana de 9,2 meses em comparação com 6 meses com o docetaxel (p <0,001). As taxas de sobrevida global em 1 ano foram de 42% nos pacientes tratados com nivolumab e de 24% nos pacientes tratados com docetaxel (p <0,001, NNT=6). O nivolumab também foi associado a um aumento da sobrevida livre de progressão mediana (3,5 meses versus 2,8 meses, p <0,001) e a um aumento na taxa de pacientes que tiveram uma resposta tumoral objetiva confirmada (20% vs. 9%, p = 0,008, NNT=9). Qualquer evento adverso foi relatado em 58% dos pacientes com nivolumab versus 86% com docetaxel (nenhum valor de p relatado) e eventos adversos de grau 3 ou 4 foram relatados em 7% dos pacientes com nivolumab versus 55% com docetaxel (nenhum valor p relatado). A expressão do ligante PD-1 em amostras de tumor obtidas pré-tratamento não foi associada a maior eficácia do nivolumab.

Em comparação com o tratamento padrão com docetaxel, o nivolumab aumentou da sobrevida global mediana em > 3 meses, com quase o dobro de pacientes sobrevivendo 1 ano após o início do tratamento. A taxa de sobrevida livre de progressão em 1 ano também foi mais de 3 vezes maior com o nivolumab em comparação com o docetaxel, e significativamente mais pacientes tiveram uma resposta completa ou parcial do tumor. Não só o nivolumab foi mais eficaz que o docetaxel, mas também teve um melhor perfil de segurança, com uma redução drástica no número de eventos adversos graves relatados no grupo do nivolumab. A expressão do ligante PD-1 não previu a resposta do paciente, sugerindo que a eficácia do nivolumab pode não ser limitada a pacientes com altos níveis de ligante PD-1 antes do tratamento. Os resultados deste estudo sugerem que o nivolumab pode não só ser mais eficaz que o docetaxel como terapia de segunda linha em pacientes com câncer de pulmão de células escamosas não-pequenas em estádio avançado, mas também pode ser mais seguro. Esses resultados, combinados com os dados anteriores, levaram a FDA a aprovar o nivolumab para pacientes com câncer de pulmão de células escamosas não-pequenas metastático com progressão durante ou após a quimioterapia à base de platina.

Para mais informações, veja o tópico Tratamento do câncer de pulmão de não-pequenas células na DynaMed.


Other EBSCO Sites +