Tratamento com adesivo de nicotina por 52 semanas pode ser seguro, mas não mais eficaz que o tratamento de 24 semanas para a cessação do tabagismo

MBE em Foco - Volume 3, Issue 8

Referência: JAMA Intern Med 2015 Apr 1;175(4):504 (evidência de nível 2 [médio])

O tabagismo é uma das principais causas de morbidade e mortalidade evitáveis. Aproximadamente 20% dos adultos fumam cigarros nos Estados Unidos e, embora 69% dos fumantes relatem ter desejo de parar, apenas 4% a 7% são bem-sucedidos a cada ano (MMWR Morb Mortal Wkly Rep 2012 Jun 15;61 Suppl:38). A terapia de reposição de nicotina com adesivos transdérmicos é considerada uma opção de medicação de primeira linha para o tratamento do tabagismo (Am J Prev Med 2008 Aug;35(2):158). Embora a substituição transdérmica da nicotina aumente significativamente a probabilidade de cessação do tabagismo em comparação com o placebo, as taxas de abstinência a 6 meses são geralmente em torno de 20%, apenas, com o tratamento (Cochrane Database Syst Rev 2012 Nov 14;(11):CD000146, Addiction 2008 Apr;103(4):557). Estender a duração do tratamento do padrão de 8 semanas para 24 semanas foi associado a um aumento da taxa de abstinência a 24 semanas, mas não houve diferenças significativas na abstinência a 52 semanas (Ann Intern Med 2010 Feb 2;152(3):144), sugerindo que o tratamento prolongado pode aumentar a duração da abstinência ao fumo, mas apenas temporariamente. Um estudo randomizado recente tentou determinar o efeito de um uso ainda mais prolongado comparando o tratamento com adesivo de nicotina durante 8 semanas contra 24 semanas ou 52 semanas em 525 fumantes adultos (idade média de 46 anos) interessados em parar de fumar. Todos os pacientes incluídos fumavam ≥ 10 cigarros por dia e receberam adesivos contendo 21mg de nicotina, além de aconselhamento para cessação do tabagismo.

Apenas 67% dos pacientes completaram a avaliação a 24 semanas e 60% concluíram a avaliação a 52 semanas, mas todos os pacientes randomizados foram incluídos na análise. As taxas de prevalência pontual de abstinência por sete dias foram confirmadas com o uso dos níveis de CO expirado nas semanas 8, 24 e 52. Na semana 24, a prevalência pontual de 7 dias de abstinência foi de 21,7% com 8 semanas de tratamento versus 27,2% com o tratamento prolongado (grupos de 24 semanas e 52 semanas combinados). Em comparação com a terapia padrão de 8 semanas, a terapia prolongada foi associada a uma maior duração da abstinência antes das recaídas (média de 89 dias versus 72 dias, p <0,001), mais dias de abstinência (média de 80,5 dias contra 68,2 dias, p = 0,02) e menos cigarros por dia em dias não abstinentes (média 5.8 cigarros versus 6.4 cigarros, p = 0,02). Na semana 52, não houve diferenças significativas na prevalência pontual de 7 dias de abstinência, na duração da abstinência antes das recaídas ou nos dias de abstinência comparando os tratamentos de 8 ou 24 semanas com o de 52 semanas, mas o tratamento de 52 semanas foi associado a menos cigarros por dia nos dias não abstinentes (média de 5.4 cigarros versus 7,5 cigarros, p = 0,01). Não houve diferenças significativas nos eventos adversos entre os grupos. Em uma análise secundária que comparou 8 com 24 semanas de tratamento, as 24 semanas de tratamento foram associadas a um aumento significativo nas taxas de abstinência a 24 semanas, mas não a 52 semanas.

Os resultados deste estudo sugerem que a terapia de reposição de nicotina com adesivos transdérmicos pode ser segura para 52 semanas de uso, mas pode não ser mais eficaz do que 24 semanas de tratamento para aumentar as taxas de abstinência do tabaco. Embora não tenha havido diferenças significativas nas taxas de abstinência a 24 semanas comparando o tratamento de 8 semanas com ambos os grupos de terapia prolongada, houve uma diferença significativa nas taxas de abstinência comparando 24 semanas versus 8 semanas neste ponto do tempo. De modo semelhante a resultados anteriores, não houve diferenças significativas comparando 8 com 24 semanas de tratamento nas taxas de abstinência a 52 semanas. Esses resultados sugerem que é seguro para os pacientes usar adesivos de nicotina por até 1 ano, embora nenhum benefício além de 6 meses tenha sido comprovado ainda. A terapia de reposição de nicotina deve ser adaptada para os pacientes de modo individualizado para que se obtenha a eficácia máxima.

Para mais informações, veja o tópico Terapia de reposição de nicotina para o abandono do tabagismo na DynaMed.


Other EBSCO Sites +